.

sábado, dezembro 17, 2011

Mensagem ao Bruce Bueno de Mesquita

Bruce Bueno de Mesquita é na atualidade, uma das figuras mais controversas do planeta. Ele é um "profeta" que usa a teoria dos jogos e a matemática pura, com alta tecnologia para prever desastres mundiais, tendências e coisas do gênero. Assisti a uma palestra dele via internet, muito interessante, no site TED, onde estamos conversando sobre o Bruce e o seu método. Um dos comentaristas escreveu sobre a relação do povo judeu com o governo iraniano, e isso levou o Bruce a quebrar uma de suas próprias regras, que é não discutir o assunto via internet. Ele, que demonstra agir totalmente pela razão, foi apanhado de surpresa pela emoção e acabou mudando todo o rumo da discussão.

Sobre isso, escrevi o seguinte comentário, que publico aqui no meu blog para alertar da tendência que alguns possuem de verem apenas as profecias que acontecem, desconsiderando as que nunca são cumpridas:

"See, Bruce, how the world is really unpredictable. You broke your own rule by writing here. On the same way, new facts not taken into account can contribute to a whole new future. Emotion is involved, you reacted based on emotion, you are a human being. A single and unpredictable Individual fact can change the world, for example, the assassination of Austria-Hungary's heir, which led to the WWI.

But above all this, there´s and old saying: "You know when a prophet is true, when his predictions are fulfilled". But we should take into account how many of your prophecies DID NOT happened, Sr !.

People always tend to take into account only those ones which were fulfilled, discarding the wrong ones. This is math too. Statistically, have you hit more than you´re wrong, or are your prophecies on the level of the everage probability results ?

Now, this is Math..."

Dihelson Mendonça

terça-feira, dezembro 13, 2011

Estações de Rádio e Bandas de Forró promovem o Alcoolismo e a Decadência Cultural



No dia 13 de dezembro comemora-se o aniversário de nascimento do ícone maior da cultura nordestina: Luiz "Lua" Gonzaga. Homenageamos este verdadeiro "gênio" que conseguiu em primeira instância, promover a imagem do nordeste no sul do país, divulgando nossos costumes, tradições, e sobretudo, nossa música; Uma música pura, vinda do seio da população, com acordes bastante característicos e uma temática voltada às alegrias e às tristezas do sertanejo.

O legado de Luiz Gonzaga se perpetuará, e deve sempre ser lembrado e valorizado pelas novas gerações. Infelizmente, há um movimento organizado, promovido pela maioria das estações de rádio, promotores de eventos e bandas de forró eletrônico que insistem em querer APAGAR a imagem do Luiz Gonzaga, quando resolvem promover o mau gosto e a decadência representadas pelas bandas de forró eletrônico no rádio e em todos os veículos de comunicação, com formas apelativas que expõe o que há de mais ridículo no ser humano, enquanto boicotam a música de qualidade; A decadência musical e cultural tomou conta das nossas estações, conduzidas por locutores tapados, que não têm qualquer formação cultural ou musical. Vendem um produto que nada entendem, para uma população de macacos que se conformam com o pão e o circo fácil, em músicas que promovem o ALCOOLISMO, a Prostituição, e a desvalorização da mulher na sociedade, aliados a lucros enormes dos que comandam esse cartel via satélite.

Se nós quisermos desenvolver o nordeste e transformá-lo em uma região de nível igual ou semelhante ao restante do país, precisamos investir muito na educação geral, e isso eventualmente passa por uma valorização daquilo que tem valor real, do resgate aos nossos ícones culturais e artísticos, e contra uma decadência que vêm se arrastando há décadas, por grupos econômicos e submetendo a população a todo um processo de massificação.


Nesta data, homenageamos a figura ímpar do Luiz Gonzaga. Um homem simples, que vindo do meio do povo, carregou sobre as costas, a história, a tradição e a cultura de todo o povo nordestino.

Dihelson Mendonça
13/12/2011

sábado, dezembro 03, 2011

SHOW: Dihelson Mendonça Trio - Dia 10 de Dezembro - SESC - Projeto Música ao Pôr-do-Sol

Show "EQUINÓCIO"

http://3.bp.blogspot.com/-qCdfcJk4bkI/TtoGWDSqTsI/AAAAAAAAcKI/zznl877fqW4/s1600/Dihelson_projeto_por_do_sol2.jpg


Com:


Dihelson Mendonça - Piano
João Neto - Contrabaixo
Saul Brito - Bateria
Participação Especial - Marcelo Randemarck - Contrabaixo.

Serviço

Data: Dia 10 de Dezembro
Local: Praça da Ladeira da Integração
Patrocínio: SESC CRATO

quarta-feira, novembro 09, 2011

A Porta do Desconhecido - Dihelson Mendonça


MONSTROS NÃO EXISTEM !



Era uma vez um grande reino, cujo soberano era famoso pela forma peculiar e impiedosa de tratar seus inimigos; A estes, após prender durante meses nas masmorras do seu suntuoso castelo, mandava buscá-los para uma sessão de tortura física e psicológica, quando mostrava então ao prisioneiro duas possibilidades:

"Se queres, podes escolher. Do meu lado esquerdo está essa fila de arqueiros, que te flecharão, e morrerás instantaneamente. Do meu lado direito está essa imensa porta e ninguém sabe que tipo de coisa tu poderás enfrentar lá. Apenas eu sei."

Todos escolhiam ser mortos pelos arqueiros, com mêdo do que poderia existir por detrás daquela imensa e tenebrosa porta. Afinal, que tipo de monstros tão pavorosos encontrariam ? Quão enormes seriam as dores e sofrimentos ?

Passados alguns anos, o reino entrou num período de paz, quando o vizir perguntou ao Rei:

"Afinal, meu senhor, o que há por detrás daquela porta que todos temiam ?"
O rei lhe respondeu: "Abre, e vê com teus próprios olhos."

O vizir, tomado de medo, começou a abrir aos poucos a imensa porta, quando raios de luz começaram a entrar, percebendo que esta dava para um lindo e imenso jardim.

O rei então lhe disse:

"Por todos esses anos, eu os ofereci duas chances: A de serem mortos e a de enfrentar o desconhecido. Todo o tempo, lhes ofereci a possibilidade da liberdade, mas eles, com mêdo, preferiram ser mortos pelos arqueiros."

Quantas vezes nos defrontamos com imensas portas do desconhecido, e por medo de monstros imaginários, preferimos ir por caminhos já percorridos ? Afinal, monstros e bestas-feras só existem na imaginação dos fracos de espírito. Os dois maiores monstros que podemos encontrar em nosso caminho, são apenas o mêdo e a ignorância.

Dihelson Mendonça
04/07/2008

domingo, novembro 06, 2011

Benito di Paula - O homem que trouxe "de volta" o Piano ao Samba

"Mas chegou o carnaval
e ela não desfilou
eu chorei, na avenida eu chorei
não pensei que mentia
a cabrocha que eu tanto amei"

NE - Ele certamente não foi, como alguns pensam, o homem que levou o piano para o samba, pois décadas antes, outros não menos ilustres como Johnny Alf, Dick Farney, ou mesmo Tom Jobim já o haviam feito. Mas em se falando do samba popular, à maneira de um Martinho da Vila, Clara Nunes e Beth Carvalho, podemos dizer que o Benito di Paula trouxe inovações na maneira de tocar, além de um estilo muito peculiar nas suas composições. Adicione-se a isso uma voz afinadíssima, repertório próprio, voz inconfundível e um estilo irreverente, vestindo-se como um "Chacrinha", com roupas espalhafatosas, quase em tom de deboche ao estilo erudito, que influcenciou décadas depois pessoas como Eduardo Dussek.

O "osso duro de roer", garoto levado e talentoso está de volta com um belo DVD, que traz muitas das suas grandes composições. Trago algumas faixas mais conhecidas do grande público. Mas antes uma pergunta: Quem é afinal, Benito di Paula ?




Benito di Paula, nascido Uday Veloso (Nova Friburgo, 28 de novembro de 1941) é um pianista, cantor e compositor brasileiro.

Uday Veloso ganhou fama nacional com o pseudônimo de Benito Di Paula. Nascido em 1941, em Nova Friburgo, RJ, é um dos grandes nomes da canção nacional dos anos 70. Foi crooner de boates do Rio de Janeiro, e depois continuou tocando na noite paulistana. Iniciou carreira pela gravadora Copacabana no início dos anos 70. Seu estilo musical é conhecido como "samba jóia", ao combinar o samba tradicional com piano e arranjos românticos e jazzisticos. Seu primeiro disco "Benito Di Paula" de 1971, foi censurado por trazer a música "Apesar de Você" de Chico Buarque.

Seu segundo LP, "Ela" também não trouxe grande êxito. Mas estourou nas paradas de sucesso com o terceiro, "Um Novo Samba", onde já aparecia na capa com sua longa barba e cabelos, inúmeras correntes, brincos, pulseiras, etc. O grande sucesso desse disco foi a música "Retalhos de Cetim".



Teve inúmeros sucessos ao longo de sua carreira como "Charlie Brown", "Vai Ficar Na Saudade", "Se Não For Amor", "Amigo do Sol, Amigo da Lua", "Mulher Brasileira". Chegou nos anos 70, a disputar a venda de LPs juntamente com Roberto Carlos, tendo composto muitas músicas para este.

Comandou o programa "Benito di Paula e seus convidados - Brasil Som 75" na TV Tupi. Tem mais de 35 discos gravados, tendo parte importante de sua obra relançada em CD, devido ao sucesso de suas músicas. Chegou a fazer sucesso em nível internacional como no México, Japão, Estados Unidos e principalmente na América Latina.




Teve parte de sua história contada no livro "Eu Não Sou Cachorro Não" do historiador, jornalista e escritor baiano Paulo César de Araújo.

Após 10 anos sem gravar, Benito di Paula lançou, em 2009, pela EMI Music seu segundo CD e primeiro DVD ao vivo, gravado no Vivo Rio, e que traz seus maiores sucessos, como Retalhos de Cetim, Sanfona Branca e Charlie Brown.

Discografia

* 1968 - Andança e Canção Para o Nosso Amor
* 1972 - Beleza Que é Você Mulher - (Copacabana)
* 1972 - Ela - (Copacabana)
* 1973 - Benito Di Paula - (Copacabana)
* 1973 - Um Novo Samba - (Copacabana)
* 1974 - Gravado Ao Vivo - (Copacabana)
* 1975 - Benito Di Paula e Seus Convidados - Brasil Som 75 - (Copacabana)
* 1975 - Benito Di Paula - (Copacabana)
* 1976 - Benito Di Paula - (Copacabana)
* 1977 - Benito Di Paula / Assobiar ou Chupar Cana - (Copacabana)
* 1977 - Jesus Papai Noel - Instrumental - (Copacabana)
* 1978 - Benito Di Paula - (Copacabana)
* 1978 - Caprichos de La Vida - Copacabana)
* 1979 - Benito Di Paula - (Copacabana)
* 1980 - Benito Di Paula - (Copacabana)
* 1981 - Benito Di Paula - (WEA)
* 1982 - Benito Di Paula - (WEA)
* 1983 - Bom Mesmo é o Brasil - (WEA)
* 1984 - Que Brote Enfim o Rouxinol Que Existe Em Mim - (RGE)
* 1985 - Nação - (RGE)
* 1986 - Benito Di Paula / Instrumental
* 1987 - Quando A Festa Acabar - (Copacabana)
* 1990 - Fazendo Paixão - (BMG Ariola)
* 1992 - A Vida Me Faz Viver - (Copacabana)
* 1994 - Pode Acreditar - (RGE)
* 1996 - Baileiro - (Paradoxx Music)
* 1999 - Raízes do Samba
* 2009 - Ao Vivo - (CD e DVD) (EMI Music)

Coletâneas

* 2002 - Perfil - Benito di Paula (Somlivre)

O valor da opinião Pública - Por: Dihelson Mendonça


"Um agricultor pobre, a exemplo de todos os outros da sua aldeia, vivia cansado de carregar grandes fardos de feno. Fez isso por muito tempo, até que finalmente decidiu comprar uma mula para que o ajudasse nas árduas tarefas cotidianas, o que logo despertou a inveja dos outros aldeões. Dotado de grande força de vontade, poupou dinheiro por anos a fio, além de diversos outros sacrifícios, finalmente conseguindo o bastante para ir até a cidade grande, onde adquiriu um maravilhoso e corpulento animal como nunca se havia visto por aquelas bandas.

De volta à sua aldeia, passeava contente com a nova aquisição, até que passando por um grupo de pessoas, estas começaram a zombar, dizendo: "Mas que homem tolo, comprou uma mula manca e feia!". Entristeceu-se com as zombarias, mas prosseguiu no seu caminho. Mais adiante, encontrou algumas crianças que ficaram rindo da cor do animal. Ainda mais à frente, encontrou um grupo de senhoras idosas que se puseram a comentar entre si: "Se este homem fosse realmente inteligente, teria poupado para adquirir um trator, ao invés de uma mula".

Ficando visivelmente aborrecido com os comentários do povo, além das muitas galhofas que se seguiram, o agricultor, tomado por um acesso de fúria, levou a mula até o alto de uma montanha e atirou-a num grande precipício, matando o infeliz animal. De volta ao trabalho, continuou com a antiga rotina miserável, carregando no próprio lombo, a carga que antes seria destinada à mula. Não havia ainda caminhado por 100 metros, quando ouviu um transeunte falando para outro:

"Este que aí vai passando, é o louco que foi até a cidade, comprou uma bela mula, e jogou-a no precipício sem motivo algum, preferindo ele mesmo carregar a carga nas costas".

Moral da História:

Nunca dê ouvidos a quem não gosta de ti. Os invejosos jamais estarão interessados no teu bem-estar. O termômetro do nosso sucesso sempre será a inveja dos descontentes."

Autor: Dihelson Mendonça

terça-feira, novembro 01, 2011

Conversas Musicais - Os maiores pianistas da nossa geração

É complicado fazer listas, porque sempre cometemos o equívoco de esquecermos alguém, mas na área de piano erudito, sem dúvida alguma, esses nomes estão na selecta lista dos maiores intérpretes do nosso tempo:

Boris Berezovsky
Nikolai Lugansky
Evgeny Kissin
Lazar Berman
Lang lang

Depois falarei detalhadamente sobre cada um deles. Berezovsky merece o meu respeito quando possui uma das melhores gravações dos Estudos Transcendentais de Liszt, ao lado de Berman. Lugansky possui um domínio bastante bom das sonoridades do instrumento e tem uma qualidade essencial ao músico: equilíbrio. Lang Lang é um pianista controverso, ora eu amo, ora odeio suas interpretações. Entendam, o cara TOCA tudo ( como aliás, todos da lista ), mas o mundo do sucesso e do "super star" lhe subiu demais à sua cabeça chinesa. Lang Lang hoje toca para um público fácil, ávido por espetáculos de técnica gratúita, mas diferente de Volodos, que é impecável e não se rende a esses apelos, ele faz o gênero, se contorcendo todo sem a menor necessidade. Mas é pianista capaz de tocar qualquer coisa, não obstante.

De volta ao lado da seriedade, talvez um dos mais completos da atualidade, ao lado dos dois outros grandes pilares do mundo, que são Marc-Andre Hamelin e Arcadi Volodos, é o Evgeny Kissin, um prodígio remanescente da escola de um Ivo Pogorelich ou mesmo Vladimir Ashkenazy, possui para mim, a técnica mais apurada, os dedos mais ágeis, potentes sonoridades somente antes encontrada em pessoas do nível de um Horowitz ou Arhur Rubinstein, todos russos. Ah! esses russos danados! A escola russa de piano de Yudina, de Sofronitsky, de Emil Gilels é uma das mais belas, mais ricas e que trouxe muita gente boa desde a criação do conservatório de São Petersburgo e dos irmãos Rubinstein no século XIX.

Aqui vemos hoje Kissin tocar um dos mais belos estudos de Scriabin, o Op 8 número 12. Reparem na perfeição das oitavas, na clara diferenciação temática, nas grandes variações dinâmicas e na profunda expressividade que ele arranca do piano, chegando no clímax ao final, como deve ser, aliás, esta fenomenal peça do inigualável Alexander Scriabin:




Por: Dihelson Mendonça

quarta-feira, outubro 19, 2011

Time is of the Essence - Por: Dihelson Mendonça

Sinceramente, amigos...

Passei da fase de discutir. Dos meus 30 aos 40 anos fui uma pessoa que adorava uma discussão. Era idealista, sonhador, esquerdista, ateu, graças a Deus, e vibrava quando alguém me confrontasse para poder atirar com meu arsenal de idéias. O Blog do Crato no início, chegou a ser uma arena para aqueles que a exemplo de mim, também gostavam de debates e embates.

Tivemos brigas homéricas, discussões intermináveis, onde cada um se utilizava de uma gama de argumentos, muitas vezes válidos até, para provar a superioridade da sua idéia sobre a do colega. E sempre ao final, todos saíam da mesma forma que começaram, porém desgastados, agarrando-se com mais frenesi à aquilo que já acreditavam. Compreendi que a discussão tem apenas uma consequência: ela leva os contendores a crer que o outro tem a mente fechada. E fim de papo!

Vejo hoje que tudo isso é a maior das inutilidades. Diminuí drasticamente as discussões com as pessoas. Passei a ver o mundo de outras formas. Aprendi que é mais importante criar, do que comentar. É melhor produzir algo próprio, do que assimilar o que outros disseram ou fizeram. Pra mim hoje, o tempo é essencial e é impagável dar as costas ao mau gosto generalizado na sociedade, à tantas pessoas ridículas que poluem as redes sociais, às picuinhas políticas, aos egos inflamados dos que escrevem longas crônicas difícieis, na intenção de serem pavoneados pelos seus costumeiros bajuladores, daqueles que se esforçam nos fóruns para discutir além da metafísica de Kant e de outros que passam o tempo a querer provar que a esquerda brasileira conseguiu trazer algo de bom ou de mal que ainda não conhecêssemos... na verdade, estou pouco me lixando a tudo que é efêmero.

No aconchego do meu quarto, percorro sem dar conta, de Platão a Kierkegaard, movido freneticamente às sonatas de Alexander Scriabin, Fauré, e tantos outros que me são caros, aonde encontro refúgio e inspiração para compor as minhas próprias obras musicais. Sigo hoje uma filosofia pessoal de que o grande homem deve criar. O homem comum, comenta os fatos do cotidiano e os discute com os tolos, e todos os outros apenas olham a vida passar, sem nada deixarem à posteridade. Creio que a obra deve sempre preceder o homem. E há a lei maior que rege o mundo: Quem pode, manda! Quem tem juízo, obedece...a discussão é inválida quando há forças superiores em jogo perante a realidade imediata.

Ah! agora vocês hão de me dar licença, pois há aqui enquanto escrevo este pequeno texto, um único filhote de gato me esperando para que eu prepare o seu leitinho, e eu não perderia esse momento de rara beleza por nada nesse mundo! O brilho que emana dos seus olhos, a sua carinha de felicidade ao receber o alimento daquele que lhe salvou a vida, de uma ninhada inteira que se perdeu, não há preço, não há calor de discussões, nem políticas, nem religiões, poderes ou coisa alguma que nesse momento, seja mais importante.

Viver é sempre tão belo e simples!
Pena que custamos uma vida inteira para aprender uma única lição.

Por: Dihelson Mendonça

sexta-feira, setembro 02, 2011

O Segredo da Felicidade Revelado - Por: Dihelson Mendonça



A grande busca do ser humano é a busca da Felicidade.

Não irei aqui escrever uma daquelas crônicas intermináveis, que os leitores estão acostumados a ler quando procuram se aprofundar neste tema, mas pretendo apenas colocar as coisas de forma prática para que os interessados possam à partir do exposto, encontrar os caminhos para a sua própria felicidade.

Aprendi nos meus 45 anos de existência, que a Felicidade é um estado de espírito, que independe de posses materiais e quando se consolida, independe inclusive de qualquer influência externa. O ser humano feliz não vive a se questionar se é feliz ou não. Aquele que pára continuamente para checar se é feliz ou não, já é um ser infeliz. Como já dizia o escritor Norman Vincent Peale, "As pessoas felizes são ocupadas demais para se questionar se são felizes ou não".

Anatomia de um Infeliz

O grande erro das pessoas infelizes é colocar o seu ego no centro absoluto de suas vidas, alimentando-o como a um grande monstro, como se o mundo inteiro girasse em torno delas. As pessoas infelizes amam a si próprias intensamente e de forma tal, que não conseguem transferir este amor às outras pessoas e ao mundo. Assim como os interestelares "buracos negros", onde nem a luz consegue escapar do seu interior, as pessoas infelizes estão todo o tempo preocupadas demais em saciar a sua infinita fome de serem observadas, amadas e bajuladas. Estão mais interessadas em receber do que em dar. Constróem a base da sua alegria cotidiana sobre ídolos falsos como o dinheiro, posses materiais, poder, fama, etc. Nunca estarão satisfeitas, pois tudo isso é apenas vaidade! Passam o tempo a comparar a sua beleza, poder, posses e outras características com as outras pessoas.

Por outro lado, o "homem feliz ainda poderá ser um homem sem camisa!"

Se há dois ditados que conservo sempre comigo e que pude comprovar a sua veracidade ao longo da minha existência e que serve de lição para todos que desejam ser felizes, são:

"Cabeça desocupada é oficina do Diabo"

e

"O Trabalho geralmente, é a cura para todos os males"

Uma pessoa que passa o tempo todo recolhido em um quarto, com poucos contatos com o mundo real de outros seres humanos, e que não consegue transferir amor e dedicação à outros seres, e transformar a sua vida em algo útil à sociedade, é um ser profundamente infeliz e digno de lástima, porque só podemos ser felizes quando largamos essa preocupação doentia em torno da nossa própria pessoa e formos capazes de amar algo de verdade, seja o trabalho, seja outra pessoa, seja um grande ideal, ou até mesmo o simples fato de cuidar de um jardim. O que ninguém consegue é ser feliz sendo um completo inútil. O que nos torna felizes é dar sentido às nossas vidas !!!

O que de bom você fez hoje para o bem da humanidade ?
Ou você acha que um dia será feliz sendo um completo parasita que vive como um pêso para sua família e para o mundo ? Claro que não!

Dê sentido à sua existência! Arrume algo que você saiba executar bem, um TRABALHO, e com isso, torne outras pessoas felizes. Crie algo de bom. Faça o bem às pessoas. Ajude quem necessitar, e nunca dê as costas a quem precisar de ti, independente de receber algo em troca ou não. Felicidade não é barganha. Acima de tudo, sinta-se útil. O trabalho, mesmo sem remuneração pode ser gratificante, porque o estamos usando como uma terapia para nossos males. O trabalho evita a loucura. O trabalho faz verdadeiros milagres.

Agora que você sabe o segredo das pessoas felizes, terá de escolher entre mudar a sua vida radicalmente, indo para a luz e tornando-se um cidadão útil ao mundo e ser recompensado por isto, ou recolher-se dentro de si próprio e passar o resto da vida se consumindo em Auto-Piedade, que é a mais desprezível característica das pessoas infelizes. Acima de tudo, lembre-se: Você não pode mudar como a sua história começou, mas você tem pleno poder para escolher o seu final. Ah! você tem problemas grandes demais ? Lembre-se que outras 7 bilhões de pessoas do planeta também tem seus problemas. A questão não é ter ou não problemas ou o tamanho deles, é a atitude que você terá diante dos problemas. Você pode ignorá-los, aceitá-los ou enfrentá-los com dignidade e auto-controle. Você escolhe.

A questão é apenas de atitude. Você um dia terá de escolher se vai continuar a agir com infantilidade ou decidir crescer e se tornar um verdadeiro adulto. A característica principal que define a maturidade é o auto-controle. A maioria das pessoas ainda não despertou para a necessidade de agir mais com a razão e sem crises emocionais totalmente desnecessárias. É preciso cultivar o auto-controle. Quando decidirem se tornar os senhores das suas próprias vidas, encarando o mundo de frente sem a necessidade de muletas, transformando-se em cidadãos responsáveis, úteis e dando sentido às suas existências, jamais se questionarão novamente se são pessoas felizes ou não, porque quem é feliz, vive a sua ( e da sua ) felicidade, sem precisar ter que buscá-la em parte alguma, dentro ou fora de si.

Por: Dihelson Mendonça
www.blogdocrato.com

segunda-feira, agosto 22, 2011

AGENDA CULTURAL: SHOW: Dihelson Mendonça Trio - Em Fortaleza - Dia 27 de Agosto no Passeio Público


Um Show Imperdível ! - Avisem aos Amigos...

http://2.bp.blogspot.com/-lOiqg0xM1Nc/TlKVvD4xAvI/AAAAAAAAYzY/vrN9_On7f7g/s1600/cartaz_DM_em_Fortaleza400.jpg


Com:

Dihelson Mendonça: Piano
Luciano franco - Contrabaixo
David Krebs - Bateria

Participações especiais:

Bob Mesquita - Sax Tenor
João Senna - Sax Alto

Serviço

Local: Passeio Público
Data: Dia 27 de Agosto, Sábado
Horário: Meio-Dia
Entrada Franca

PROMOÇÃO:

sexta-feira, agosto 12, 2011

Meus 14 anos - Dihelson Mendonça


"Em pleno Junho, um garoto que não tinha ainda 14 anos, andava pelas ruas estupefato, olhando para o céu com uma espécie de disco de papel giratório por entre as mãos, reconhecendo estrelas, planetas, perscrutando com a agudez da sua mente ávida de conhecimentos, os segredos do universo visível. E tudo aquilo, de repente, lhe pareceu novo; Azul profundo é a cor da beleza singular. Sírius e Canopus brilhavam mais em seus olhos que na abóbada celeste, e sentia o frêmito das ondas eletromagnéticas a lhe atravessarem o peito junto ao frio dos ventos de inverno. Ansiava por inventar o rádio com Marconi; Bolsos cheios de transístores, imãs e sonhos de adolescente, assim ladeava o canal do Rio Grangeiro de ponta a ponta, enquanto transeuntes se admiravam com uma figura magra, esguia, de um jovem tímido, de aparência doentia que se alimentava mais de idéias de ciência do que da comida caseira. ...Não era incomum. Era apenas um garoto que a exemplo de muitos, enxergava um mundo pictórico, enquanto Bach, Chopin e Scarlatti tocavam dentro da sua cabeça sem parar"

Dihelson Mendonça ( Memórias )

Pensamentos - Dihelson Mendonça


"Porque o essencial não é tentar ser, mas acreditar piamente que é. Isso é o segredo de tudo..."


Dihelson Mendonça

quinta-feira, julho 28, 2011

Viva o Bom Gosto! - Música: Still Time - Herbie Hancock






Quantas recordações, coisas boas que passamos juntos, quantos acordes musicais lindos, e uma lembrança de outros tempos é o que me remete essa bela canção chamada Still Time, do grande pianista Herbie Hancock ( um dos maiores gênios da nossa geração ), do filme "Por Volta da Meia-Noite" dirigido por Bertrand Tavernier. Aliás, esse filme é fantástico, vale a pena conferir!

Abraços,
Até a próxima.

Dihelson Mendonça

Compositor Haroldo Ribeiro presta Solidariedade a Dihelson Mendonça pela sua exclusão sistemática nos palcos da URCA


"Possivelmente o mais irrefutável, é que Dihelson ainda não entrou para os livros da história da cultura e dos homens de talento brasileiro, porque ele tem falhado como empresário. As pessoas mais bem sucedidas não são necessariamente as mais brilhantes, mas aquelas que conseguem jogar o jogo para chegar ao topo. Dihelson é um discípulo da cultura pura, em oposição à mercantil cultura aplicada, com pouca ou nenhuma facilidade em imaginar como lucrar com suas idéias. O mundo Neo liberal onde o imediato lucro econômico está acima de “tudo”, tem como principal objetivo evitar investimento, seja financeiro ou intelectual isto é, não existe o compromisso com a notoriedade de maneira apropriada. Visa-se apenas o consumo rápido, tipo fast food, que são imediatos mas não satisfazem.

Dihelson tem a idéia da criação da cultura baseada em experiências, ensinamentos, dedicação, onde o ser humano pode se desenvolver e ter acesso à grande soma de informações que os torna cada vez mais livre para pensar e tomar decisões, uma idéia assustadora a qualquer “capitalista de carteirinha”. Um verdadeiro gênio é alguém que não só é muito inteligente, mas também tem a imaginação, foco e criatividade para descobrir ou criar regularmente algo excepcional em seu campo e ele TEM!

Os donos do poder não sabem o que fazer com aqueles que são apenas altamente inteligentes, sem a centelha divina do gênio, imagine com o próprio! Que Você Dihelson, continue sendo essa pessoa que sempre encontra algo igualmente criativo e cultural para o bem da própria humanidade. Não se deixe abater. A cultura precisa de você. Sua inteligência incrível precisa de desafios!"

Haroldo Ribeiro
Músico - Compositor

Fortaleza, ceará - Julho de 2011

quinta-feira, julho 14, 2011

A Política de Discriminação da URCA e dos organizadores do seu Palco Sonoro na Expocrato


Carta aberta à Universidade Regional do Cariri - URCA

Quando um artista da música, de renome, atuando há quase 30 anos no Brasil, e que possui trabalhos elogiados pela crítica nacional e internacional é sistematicamente excluído da lista dos participantes de um evento cultural realizado em sua própria terra, é sinal de que alguma coisa está muito errada. Isto é o que vem acontecendo com relação à minha pessoa e com a minha arte por ocasião do chamado "Palco Sonoro" promovido todos os anos pela URCA - Universidade Regional do Cariri.

Esperei longos anos para redigir o texto que ora publico, apenas para me municipar de estatísticas e desmascarar a farsa e a política de PANELINHA excludente e discriminatória em relação à minha pessoa, promovida por aqueles que organizam a programação do "Palco Sonoro" da URCA, que diferentemente do palco principal da expocrato, possui uma proposta de divulgação artística e cultural dos valores da nossa terra. Em todos os anos de existência deste evento, é lamentável que eu jamais haja sido convidado a apresentar algum show dos meus trabalhos nas inúmeras áreas da música em que atuo, seja na Música Instrumental, na Música Popular, e na Música Clássica. Para um artista, é muito incômodo ter que trazer a público o seu Curriculum Vitae, como fazem os prestadores de serviços, especialmente quando o seu trabalho já é por todos conhecido por cerca de 30 anos de atuação no cenário artítico do país.

Entretanto, aos que não me conhecem bem, devo ressaltar alguns pontos principais:

- O Único artista do Cariri que possui um CD de seus próprios trabalhos gravado com PATROCÍNIO EXCLUSIVO do Banco do Nordeste do Brasil - BNB

- O Único artista do Cariri a ser convidado a tocar 7 vezes no Festival Internacional de Jazz & Blues de Guaramiranga

- O Único artista do Cariri a tocar mais de 15 vezes no Centro Cultural Banco do Nordeste em Fortaleza, no Cariri e na Paraíba.


- O Único artista do Cariri a receber o famoso prêmio NELSON´S de aclamação à arte produzida no Ceará.

- O único pianista do Ceará convidado a fazer um recital completo de Piano em Fortaleza- CE, em Janeiro de 2006, por ocasião dos 250 anos de Mozart, executando obras complexas deste renomado compositor, e improvisando também livremente sobre os temas destas composições.


- O único artista do Cariri com mais de 200 composições autorais instrumentais e vocais com e sem letra que transita entre quase todos os gêneros da música de vanguarda, seja Clássica, Popular Brasileira ou Internacional, sendo formada por dúzias de Choros, Frevos, Sambas, Bossanova, Baiões, Xotes, Salsa, Reggae, quarteto de cordas, duos de flautas, sonatas para piano, flauta, e até músicas no estilo barroco e do período romântico do século XIX.

Como se isso não bastasse, trago ainda alguns pontos interessantes do meu currículo musical de atuação no cenário musical Brasileiro e reconheciamente, um artista que honra o Cariri:

"Em uma carreira musical de mais de 25 anos devotada à música, Dihelson Mendonça já demonstrou o seu talento, através de centenas de apresentações musicais em teatros, casas noturnas, auditórios, etc, tocando lado a lado com grandes nomes da música Instrumental brasileira, tais como: Hermeto Pascoal, Gilson Peranzzetta, Mauro Senise, Arismar do Espírito Santo, Luciano Franco, Toninho Horta, Vinícius Dorin (Saxofonista), André Marques ( banda Curupira ), Itiberê Swarg (Baixista, toca com Hermeto pascoal) , Márcio Bahia (Baterista), Beto Batera ( Irmão do Carlos Bala - baterista ), Carlinhos Patriolino, Márcio Resende, Nenê (Baterista), Fhátima Santos (cantora), Lia Chaves (cantora), João Senna ( Sax ), Ricardo Júnior (Pianista e Arranjador da cantora Dóris Monteiro), Cleivan Paiva (Guitarrista com quem mantém um dueto de Jazz) , dentre tantos outros.

FESTIVAIS:

01 - Foi organizador, diretor Musical, Maestro e Curador por 2 edições do grande Festival CHAMA ( Chapada Musical do Araripe de Música Popular Brasileira ), edição de 1993 e 1995 em Crato-CE.
02 - Participou da Curadoria do Festival de Jazz & Blues de Guaramiranga – CE.
03 - Participou como tecladista e arranjador para o músico caririense Pachelly Jamacaru no Festival nacional dos Economiários em 1991 em Porto Alegre – RS, do qual ganhou o prêmio de Melhor arranjo.
04 - Participou como tecladista em apresentação do músico pachelly jamacaru no Festival Nacional dos economiários em 1988 em Manaus – AM.
05 - Participou como tecladista em apresentação do músico Pachelly Jamacaru no Festival Nacional dos economiários em Campos do Jordão – SP - 1994.
06 - Participou em 7 edições do Festival de Jazz & Blues de guaramiranga- CE sendo convidado a tocar ao lado de grandes nomes da Música instrumental Brasileira, dentre os quais Toninho Horta e Arismar do Espírito Santo, bem como com sua própria banda.

ALGUNS EVENTOS MUSICAIS DE DESTAQUE:

00 - Foi convidado para o cargo de monitor na Berklee Colege of Music, uma das mais renomadas escolas de música do mundo, nos Estados Unidos, em 1988 juntamente com o guitarrista paraibano Jocel Fechine.
01 – Fez parte do primeiro quinteto de Jazz da Paraíba, em 1985 do DART – Departamento de Artes da Universidade Federal da Paraíba, do qual contava com Fernando Rangel no Contrabaixo e o grande guitarrista Jocel Fechine, dentre outros.
02 – Em 1986, formou o primeiro grupo de Jazz da região do Cariri, o “Cariri Samba-Jazz Quartet” , que combinava o estilo instrumental com suas próprias composições, e também tinha um papel didático, no esclarecimento ao público das diversas formas de estilo musical.
03 – Em 1988 realizou concerto: Dihelson Mendonça in Concert – no SESI em Crato, interpretando Clássicos e Jazz ao Piano solo e Trio.
04 - Tocou na Sala Tom Jobim em 1991 em Porto Alegre- RS.
05 – Trabalhou por 3 anos na casa noturna “Choppana” em Crato ( 1992-1995 ), interpretando Música Popular Brasileira, ao lado da cantora baiana Lia Chaves.
06 – Fez participação como tecladista no show de Hermeto Pascoal em 1998 na cidade de Crato.
07 - Participou inúmeras vezes do projeto BEC Seia e Meia, realizado no Teatro José de Alencar em Fortaleza. ( 1997 ) com incontáveis artistas cearenses.
08 - Realizou show com o multi-instrumentista Arismar do Espírito Santo no espaço “Pontal” da Praia de iracema em Fortaleza – (2000)
09 – Realizou Show com seu grupo no CCBN – Centro Cultural Banco do Nordeste em Fortaleza ( 2000 )
10 – Participou em 7 edições do Festival de Jazz & Blues de Guaramiranga . Foi convidado por inúmeras vezes para integrar a banda dos maiores músicos cearenses, a exemplo de: Luciano Franco, Zé Antonio guitarrista, Fhátima Santos, Nélio Costa, Márcio Resende, etc…
11 – Foi convidado por Toninho Horta para participar do seu Show em Guaramiranga.

12 - Tocou na Manny´s Music em Nova York piano duo com um pianista da Julliard School ( 1997 )

13 – Trabalhou por 3 anos na melhor casa noturna de Fortaleza, o “Caros Amigos”, ( 1999-2002 ) com diversos músicos de renome da capital cearense, dentre eles: Fátima Santos, Késia, Ricardo pontes, Ricardo Leite, Nélio Costa, Luizinho Duarte, Jerônimo Neto, guitarrista Zé Antonio, Aroldo Araújo, Haroldo Ribeiro, Denílson Lopes, Aparecida Silvino, dentre outros.

14 – Trabalhou por cerca de um ano no hotel “Villa Gallé” em Fortaleza, com a cantora Fhátima Santos e o baterista “Beto batera”, mostrando o melhor da Música Brasileira aos turistas estrangeiros. ( 2002 )
15 – Foi convidado a fazer show de Homenagem à Hermeto Pascoal no CCBN – Centro Cultural Banco do Nordeste em Fortaleza ( 2002 )
16 - Realizou Concerto de Piano Clássico: Dihelson Mendonça interpreta Frederic Chopin, no Centro Cultural Banco do Nordeste em Fortaleza – 2003.
17 - Realizou Show: Dihelson Mendonça Elektric Band onde prestou homenagem ao músico Chick Corea, no Festival de Jazz & Blues de Guaramiranga. ( 2004 )
18 - Realizou Show/Tributo à Bill Evans no Centro Cultural Banco do Nordeste ( CCBN ) em 2004.
19 - Participou do projeto Sonata ao Luar, realizado pela Sociedade de Cultura Artística de Crato, interpretando peças de Chopin, em agosto / 2004.
20 - Foi o único artista do cariri escolhido para realizar um show no Sesc Crato, no lançamento pelo então Governador Lúcio Alcântara, do projeto para incentivo à cultura e às Artes no Crato (2004).
21 - Foi convidado por diversas vezes para tocar Jazz e música Brasileira em jantares oficiais de inúmeras autoridades cearenses, desde o ex-governador Tasso Jereissatti , jantares para Ministros de Estado, e governos municipais.
22 – O único pianista do Ceará convidado a fazer um recital de Piano em Fortaleza- CE, em Janeiro de 2006, por ocasião dos 250 anos de Mozart, executando obras complexas deste renomado compositor, e improvisando também livremente sobre os temas destas composições.
23 - Realizou de 1998 a 2011 incontáveis Concertos Clássicos interpretando Bach, Beethoven, Chopin, Liszt, Debussy e diversos outros compositores eruditos no Centro Cultural Banco do Nordeste e SESC.
24 - Em seu estúdio em Crato, gravou diversos trabalhos de outros artistas caririenses.

DIRETOR MUSICAL:

01 - Direção Musical do Show: “Soy Loco por Ti América latina” de Luiz Carlos Salatiel.
02 - Direção musical de inúmeros shows do artista cearense Pachelly Jamacaru.
03 – Direção musical do Show “Edipianus’ da cantora cratense Auci ventura - 1988
04 - Direção musical do CD – Balaios da Vida, de Pachelly jamacaru – 1994
05 - Direção musical do CD – Pachelly Jamacaru – 2000
06 - Direção musical do CD - Cria Minha - pachelly Jamacaru - 2009

PROGRAMAS DE TV:

Participou de inúmeras apresentações na TV DIÁRIO em Fortaleza, entre 2003 e 2005

TRABALHOS GRAVADOS (CDs )

Como Integrante e Diretor Musical:

CD – Festival Nacional dos Economiários – Edição 1991
CD – Balaios da Vida – Pachelly Jamacaru – ( 1994/1995)
CD – Pachelly Jamacaru - 2000
CD – Vôo dos Sons – Darwinson - ( à convite do músico Toninho horta ) – 2000
CD – À Solta - Cinthia Moraes ( 2001 )
CD – Luciano Franco – 2004
etc...

Como Autor e produtor:

CD – A Busca da Perfeição – Dihelson Mendonça - ( primeiro álbum solo ) ( 2009 ).
CD – Dihelson Mendonça interpreta Frederic Chopin ( em fase de gravação – 2011 )
CD - A Música de Dihelson Mendonça ( Em fase de gravação - 2011 )
CD - A Música Moderna do Ceará - ( já em processo de lançamento )
CD - 10 anos centro cultural Banco do Nordeste ( lançado em 2010 )

PALESTRAS , CONFERÊNCIAS & CURSOS:

01 - Foi professor por 2 anos ( 1986-1987 ) das disciplinas de: Piano Clássico, Piano Jazz e do curso de Teoria musical e Harmonia de Jazz na Sociedade de Cultura Artística de Crato ( SCAC ).
02 - Ministrou Workshop na Universidade Estadual do Ceará UECE – Campus Itaperi em 1998 sobre Jazz-Piano.
03 – Ministrou Curso de Musicalização e Formação Musical promovido pela SECULT no período de 21/11/2005 a 07/12/2005 na cidade de Missão Velha – CE.
04 – Ministrou Curso de Teclados para profissionais da área e iniciantes, promovido pela SECULT-CE, no período de 12/01/2006 a 20/01/2006 na cidade de Iguatu - CE

ALGUMAS PREMIAÇÕES:

01 – Foi agraciado com diversas bolsas de estudo, desde o tempo de Conservatório, sempre tirando o primeiro lugar pelo esforço e dedicação à música.
02 - Juntamente com Pachelly Jamacaru, foi agraciado com o Troféu de melhor arranjo do Festival Nacional dos Economiários do Rio grande do Sul – edição de 1991.
03 - Foi agraciado por 2 vezes com o troféu de melhor músico no “Prêmio Destaque do Ano” – edição 1991 e “Prêmio Destaque Ceará” – edição 1994, aclamado por Júri popular.
04 - Foi agraciado com o Prêmio Nelson’s - Troféu de melhor tecladista do Ano 2003 em Fortaleza – CE escolhido por Júri popular.

Etc...

Pelos inúmeros pontos acima apresentados, que não há paralelo em qualquer artista nascido ou atuando no Cariri, vejo-me portanto num cenário muito privilegiado como um dos principais representantes na Música produzida aqui no Cariri e tenho empunhado essa bandeira de defêsa dos outros tantos valores do Cariri, e promovendo a música de meus compatriotas, pelo Brasil afora aonde eu me apresento. Mantenho programas de Rádio que visam divulgar a música instrumental do Brasil e uma estação de rádio na internet que divulga os artistas do Cariri para o mundo. Portanto, aonde atuo, faço questão de ressaltar o nome dos meus companheiros e da arte produzida aqui no Cariri. Possuo uma grande quantidade de composições populares, com letras, algumas já gravadas por artistas de fora.

Estranha-me portanto, esta exclusão sistemática ( Todo ano ) da minha arte para um show neste Palco Sonoro aonde se apresentam os chamados "Artistas do Cariri", que dada a importância do meu trabalho e das premiações que recebo lá fora, só vem confirmar a antipatia dos organizadores à minha pessoa, e eu diria até por causa das minhas convicções políticas que não se alinham a alguns que dirigem aquela instituição e os seus representantes que apoiam a esquerda Brasileira, e os partidos comunistas. Afora isso, é nítida a grande inveja que reina entre os organizadores do evento em relação à minha presença. Mas já diz a letra da música que "O que brilha com luz própria, nada lhe pode apagar". E assim, por mais que os ligados a essa PANELINHA de exclusão queiram me esconder do grande público, boicotando os meus shows em todos os anos, não só nos eventos da URCA, como em todos os eventos realizados por eles no Cariri, não lograrão êxito, e desses que ora se apresentam, não vejo nenhum que esteja em plano superior ao meu. Muito pelo contrário, ajudei e ajudo a muitos deles, pois todos os mecanismos de mídia que desenvolvi foram no sentido da promoção dos artistas sem exclusões! Agora, diferentemente de vários estreantes que sequer são conhecidos, não têm qualquer trabalho e que para lá são convidados, Dihelson Mendonça já é uma Instituição completa: É o Artista, o Palco, a Luz, o Som, o Vídeo, a Fotografia, a Gravação, e a própria Arte.

De modo que aceito plenamente o BOICOTE e a Política Discriminatória da PANELINHA que organiza o evento, e a própria PANELINHA política da URCA. Quero apenas ressaltar que nunca dependi desse palco sonoro para minha sobrevivência, nem para que minha arte pudesse ser ouvida no resto do Brasil, mas fica registrado definitivamente que não somos idiotas e percebemos a clara discriminação dos seus arrogantes organizadores ( que se consideram artistas ). Dado o acima exposto, já que não me desejam em seu "Palco Sonoro", que façam muito bom proveito dele! Devo ser grande demais para caber lá, e sacudo o pó das sandálias. Mas é bom que se denuncie de vez a hipocrisia de alguns que se dizem "artistas" e "promotores artísticos" no Cariri, que organizam eventos para seus "compadres", e onde apenas permanece um jogo de cartas marcadas daqueles que por uma bajulação aos superiores, pegaram um bico numa universidade e criaram panelinhas para os Palcos do Cariri e da URCA. What a shame! ( Que vergonha! )

Dihelson Mendonça

Artista do Cariri

terça-feira, junho 07, 2011

MOVIMENTO PELA DIVERSIDADE MUSICAL E CONTRA O MONOPÓLIO DO FORRÓ DE PLÁSTICO - Por: Dihelson Mendonça


Movimento em favor da diversidade musical, e contra o Monopólio do Forró de Plástico na mídia ! - Lanço uma corrente para unir todas as pessoas que gostam da Boa Música. Junte-se a nós. Chega de mesmice !



Somente com a união de todas as pessoas que gostam da música de qualidade no Brasil, conseguiremos vencer o "Cartel da Mídia" que mantém o monopólio do forró de plástico 24 horas por dia nas estações de rádio. Estou recrutando cada pessoa de bom gosto musical, cada cidadão que odeia a baixaria representada pelas bandas de forró; Cada um que curte outros estilos, para que juntos formemos uma frente, um movimento organizado que estou denominando inicialmente de "Movimento Pela Diversidade Musical na Mídia" para as estações de rádio possam voltar a tocar estilos variados de música, rompendo esse monopólio de porcarias estabelecido. Como sabemos, o percentual de pessoas que apreciam música de qualidade é muito superior aos que gostam de música ruim, mas somente a música ruim tem espaço no Rádio, porque um grupo econômico criou e mantém há 2 décadas uma estrutura perversa que visa apenas ganhar dinheiro fácil às custas da massificação.

A ESTRUTURA DO SISTEMA

Ao contrário do que muitos pensam, o monopólio do forró de plástico na mídia não é um elemento passivo. Não caiu no gosto do povo por mero acaso. É fruto de uma estrutura cuidadosamente planejada nos anos 90 por um grupo de empresários visando o ganho de dinheiro fácil dos incautos pela exploração e pela massificação. O objetivo primordial deles é manter o forró de plástico ativo 24Hs no Rádio, impedindo outros estilos musicias e garantindo público nos eventos:


O sistema é formado basicamente por 3 elementos que trabalham de forma organizada e sincronizada:

01 - Proprietários de bandas de forró de plástico ( gravadoras ) - A coisa toda é feita visando a exploração da baixaria, da vulgaridade, do estímulo ao alcoolismo e da prostituição, com letras pobres que apelam para os instintos primitivos enquanto se investe no visual, tornando a música um fator secundário. Arte não existe. Abusa-se do mau-gosto, e garantem-se espaços nas estações de rádio com uma estrutura paga, via satélite. Como uma droga de efeito imediato e que não se mantém, é que nem mesmo aqueles que gostam desse estilo aguentam ouvir a mesma música por muito tempo. O sucesso é passageiro, como o efeito de qualquer outra droga. O lucro não é obtido na venda de CDs, que são vendidos nas lojas por um valor simbólico e são muitas vezes doados em esquinas como promoção para arrebanhar público para os shows. Usam as gravadoras apenas como elemento de produção, sendo que o lucro real vem da venda de ingressos nos shows. A tática é oposta ao modelo vigente nas grandes gravadoras do país, onde lança-se o artista para vender o produto. Aqui, a gravadora serve apenas para reforçar e amparar o sucesso. A música pode até ser gravada ao vivo, no próprio show, pois descobriu-se que o público alvo não tem intelecto suficiente para distinguir a qualidade da gravação. O objetivo é promover a participação do público, sobretudo gritando nomes de determinadas pessoas nos shows, que levarão os CDs para tocar para os amigos. Na maioria dos casos, uma mesma música é gravada por várias bandas ao mesmo tempo.

02 - Estações de Rádio - Em conluio $$$$$ com as bandas de forró de plástico para massificar a população, elas é quem preparam o GADO ( público ) para as vendas dos ingressos nos eventos garantindo a publicidade antecipada, a fim de levar a massa como gado ao matadouro ( shows ) como se fossem Zumbis. A música, segundo eles, não deve ser artigo para pensar. Pensar, Dói ! - Música seria como qualquer droga, como CRACK e COCAÍNA: Apenas para a diversão fugaz, de fácil apelo, e em associação ao movimento corporal e à sensualidade. O Rádio une-se às bandas de forró para divulgar somente o material fornecido pelos proprietários, minimizando ou vetando quaisquer outras formas musicais, garantindo assim o monopólio e a massificação e preparando o povo para o principal: a venda de ingressos em shows.

03 - Proprietários de Casas de Shows - Aqui é onde realmente desemboca o grande filão do dinheiro. Visando lucro fácil, entram na jogada, abrindo os espaços para o material que já foi divulgado e massificado por meses nas estações de Rádio e em acordo com as bandas de forró. Em época de eventos, as bandas que irão participar se intensificam nas estações de rádio, tocando principalmente as que participarão, e retirando as que não irão participar, tudo preparado cuidadosamente com meses de antecedência e garantindo a participação da massa, que estará preparada a tempo para o dia do shows. Todos lucram no negócio milionário.

RECLAMAR ADIANTA ?

01 - Desde que o forró de plástico ( como é conhecido atualmente o chamdo "forró putaria", desde a intervenção do músico Chico Cesar ) nossa tática de reclamar não tem sequer arranhado a estrutura dos organizadores de eventos, e muito menos sensibilizado qualquer dos 3 pilares do cartel da mídia, que estão agarrados ao OSSO, mas estas reclamações, por outro lado, tem feito surgir muitas bocas indignadas no seio da sociedade ( inclusive crônicas famosas, como a do Ariano Suassuna ). As inúmeras reclamações trouxeram de volta pessoas que gostam da boa música e estavam esquecidas, impotentes frente ao descaso, e foi por essas reclamações que descobrimos outros que pensam iguais a nós, que estão vendo a arte e a cultura irem para o ralo. Portanto, reclamar é bom, sempre foi bom e sempre será uma grande arma nesse movimento.

02 - A nossa estratégia de começar a ganhar os meios de comunicação tem dado certo. Diversos artistas do nordeste, e principalmente do interior do Ceará, além de formadores de opinião se reuniram e foram às estações de rádio tocar aquilo que já não mais se ouvia. Apesar do curto espaço de tempo, estamos reunindo, congregando as pessoas que gostam de outros estilos musicais, e posso dizer pelo que vejo e tenho ouvido, que a quantidade de pessoas que gostam de boa música é maior do que os que gostam de porcaria, só que eles não se manifestam tanto quanto aqueles. Os shows dos bons artistas estão gradualmente retornando, e tem tido casa lotada, prova do retorno da boa música e do funcionamento do Marketing.

03 - Mesmo em Fortaleza, o reduto do Forró de Plástico, é unanimidade que lá esse forró decadente já diminuiu e alguns apostam até que está morrendo. Ainda bem!

O NOSSO MOVIMENTO:

Minha ( ou nossa ) idéia é unir todas as pessoas que gostam de música de qualidade num grande e permanente movimento em direção às artes e à cultura, a fim de quebrar o monopólio de um só estilo de música no Rádio, garantindo a diversidade artística e cultural. Temos andado muito dispersos nos últimos anos. O inimigo se aproveitou disso e tomou conta dos meios de comunicação. Permitimos literalmente que a raposa invadisse o galinheiro, enquanto ficamos apenas olhando sem nada fazer. Nosso movimento precisa ser direcionado no sentido de ocupar os espaços novamente, dos meios de comunicação em escala Regional, Estadual e Nacional.

Esse movimento organizado, que une todas as mídias de que temos acesso, terá por meta a união de todas as pessoas de bom gosto numa imensa "Corrente do Bem", que fará cada vez mais pressão no sentido de garantir espaços de diversidade na mídia, e consequentemente, formar mais platéia e bom gosto. O nosso público é grande, só está disperso. É preciso reunir essas pessoas dos 4 cantos. A nossa força estará nessa união. É um movimento lento, porém gradativo e permanente, que espero contar com todos aqueles que não mais aguentam tanta decadência cultural, que não aguentam mais tanta porcaria no Rádio, e que desejam ouvir novamente MÚSICA DE VERDADE. Lançamos hoje a pedra fundamental para os anos futuros, desse movimento de resgate aos grandes valores; Não apenas musicais, pois a música decadente é fruto de uma sociedade em decadência. Por isso, é preciso investir nos grandes valores que formam o ser humano, que se baseiam sobretudo, na educação, que é o grande pilar da sociedade. Que possamos unir nossas forças, e todos os recursos disponíveis no sentido de cultivarmos o melhor do ser humano, e com certeza, todo o bem virá por consequência.

Una-se a este movimento. Enquanto isso, quem quiser participar, pode me adicionar no Facebook, twitter, ou outros websites para trocarmos idéias e estratégias para o combate ao monopólio da mídia:

www.facebook.com/dihelson
www.blogdocrato.com
www.chapadadoararipe.com
www.radiochapadadoararipe.com
www.culturanocariri.com
www.cariricult.blogspot.com
www.cariricaturas.blogspot.com
www.redeblogsdoceara.blogspot.com

VIVA A DIVERSIDADE MUSICAL. ABAIXO O MONOPÓLIO !
Abraços,

Dihelson Mendonça
Músico - Compositor, Pianista, Fotógrafo, Jornalista.

sexta-feira, maio 27, 2011

BlogHumor - "Quem nunca errou que atire a primeira pedra" - Versão Dihelson Mendonça


Uma das mais interessantes passagens bíblicas é aquela do apedrejamento de Maria Madalena, em que Jesus interveio. Ouvi uma versão hoje que deixaria qualquer cristão de cabelo em pé, e que repasso para vocês:

Judeia, Ano 33 DC, mais ou menos às 16:30. Uma turma de Judeus repousa embaixo de uma árvore e discutem a programação da semana: "Já está quase na hora do apedrejamento, alguém quer ir ?" "Ora, apedrejamento tem todo dia. Vamos a uma crucificação ?", responde outro. "Eu não gosto, demora demais..." "Então vamos a um apedrejamento mesmo". E saíram todos procurando alguma sessão de apedrejamento vespertina, das muitas que existiam na cidade.

Ao passar por um dado local, viram uma mulher prontinha para ser apedrejada, e uma multidão que se acotovelava, cada um já com sua pedra na mão. Os judeus então, procuraram as melhores pedras, a fim de também participarem do evento.

Quando tudo já estava pronto, alguém começou a ler a sentença:

"Essa mulher foi pega em flagrante de adultério. Cumpre pela nossa lei que morra apedrejada"
"Morra! Que morra essa infeliz ! " gritou a multidão.
Quando já se preparavam para começar, eis que surge um homem de vestes brilhantes, que chamou a atenção dos presentes, e disse em voz alta:

"Eis que hoje eu vos digo: Aquele que nunca errou na vida, que atire a primeira pedra nesta mulher"

Ouvindo isso, um bêbado que estava ali presente, pegou a sua pedra e jogou, acertando bem em cheio a cabeça da condenada. Vendo isto, o homem de branco perguntou irritado:

"Oh rapaz! você não ouviu o que eu falei não ? Você nunca errou na vida ?"

E o bêbado respondeu:

"Doutor, dessa distância não, mas de 100 metros talvez eu até errasse..."

( autor desconhecido - Editado por Dihelson Mendonça )

domingo, maio 22, 2011

O significado da expressão CARPE DIEM


Bom Dia para todos os nossos leitores, colaboradores e escritores.

Carpe Diem *

( * Carpe Diem é uma frase em latim de um poema de Horácio, e é popularmente traduzida para colha o dia ou aproveite o momento. É também utilizado como uma expressão para solicitar que se evite gastar o tempo com coisas inúteis ou como uma justificativa para o prazer imediato, sem medo do futuro. )


Dihelson Mendonça

domingo, maio 08, 2011

O DOM DA VIDA - Homenagem a todas as Mães - Dihelson Mendonça


O HOMEM E A ILUSÃO DA POSSE

Se formos parar para refletir um pouco, veremos que nesta terra, nada nos pertence. Somos meros guardiães temporários de tesouros alheios. Estamos aqui por um breve período, e um objeto material que hoje nos pertence, já pertenceu a outros antes de nós, e pertencerá a tantos outros, depois que deixarmos essa existência. O que temos afinal nessa vida ?

Temos uma leve "ilusão de posse".

Se observarmos bem, veremos que um espaço de 70 anos, que é a vida média de um indivíduo, nada representa no contexto cósmico da existência, nada adiciona em termos de tempo do universo, que tem cerca de 15 Bilhões de anos. Somos mais uma entre 6 bilhões de pessoas iguais a nós, cada uma lutando por um lugar ao sol, com as mesmas dificuldades, com sonhos, com anseios, e que faz parte de uma dentre 3.000 outras espécies que convivem nesse pequeno pontinho de poeira cósmica chamado de planeta Terra, que gira em torno de uma diminuta estrela que é apenas uma entre 100 bilhões de outras, de uma galáxia que é mais uma entre outras 100 bilhões de galáxias do universo, e que está fadado a um dia desaparecer.

NADA SOMOS!

Nem nossa roupa nos pertence. Nada trouxemos, nada levaremos. Nem nosso corpo físico nos pertence! Nada podemos fazer para encurtar ou prolongar os nossos dias aqui na terra. A única coisa que temos de fato, é este sopro de vida, que veio de um útero, aonde todos fomos gerados.

Essa é a única verdade. Todo o resto é ilusão.

Nem propriedades, nem dinheiro, nem posse alguma deve ser motivo de orgulho a alguém na condição humana. Somos como outro bicho qualquer, como uma barata, por exemplo, que tem uma cabeça e patas. Quebrem uma das pernas e esse animal sairá se arrastando pelo chão. Quebrem-lhe o pescoço e se comportará igual a uma galinha morrendo asfixiada. Não somos diferentes, decerto! Temos o mesmo sangue vermelho correndo nas veias igual a qualquer animal. O que nos difere dos outros seres, é a consciência do estar vivo momentaneamente. É poder traçar o curso por onde queremos ir, muito embora nem sempre tenhamos o PODER de realizá-lo. A única coisa que temos de fato, é esta vida que nos foi dada como dom gratúito.

De fato, nossas mães deveriam ser as pessoas mais amadas e reverenciadas no centro de nossas vidas, pois elas nos proveram desse singular e relevante bem mais precioso: O de estar com os nossos colegas do planeta, pois em muito breve, ao pó retornaremos para sermos novamente o que éramos antes de aqui existirmos.

Minha amada mãe, eu te agradeço por me dares a chance de passar uns poucos dias aqui nesta terra, e que essa estada possa ser útil de alguma forma à humanidade.

- Obrigado por me trazer do lodo, da pedra, do barro de que fui gerado.
- Obrigado pelo sopro de vida que fez meu coração bater pela primeira vez.
- Obrigado pelo primeiro movimento dos pulmões, que trouxe um outro e em seguida, mais um outro até hoje.
- Obrigado por me fazer enxergar a luz do mundo, em meio a tantas dores.
- Obrigado pelas noites de vigília, em que ficavas ao meu lado velando meu sono, e cuidando das minhas muitas enfermidades.
- Obrigado por me dar amigos a quem pude chamar de irmãos.
- Obrigado por tantas e tantas coisas que não posso aqui escrever, e que representam tudo o que sou e o que sei. Mas acima de tudo, obrigado pela chance única de viver, de poder contemplar o universo e de gritar no mais alto dos tons: "Estou vivo! Eu Existo!" ainda que seja por um breve, porém feliz tempo.

Hoje o universo ficou mais belo. Porque eu sei que tu existes, e que nada do que fizeste por mim será em vão. E que bom que vivi tempo suficiente para compreender todas essas coisas que uma criança ou um adolescente jamais compreenderia. Acima de tudo, obrigado por me concederes o dom da VIDA.

Dihelson Mendonça

Na Foto: A minha mãe, Haydée, em sua segunda Formatura após os 60 anos de idade. Exemplo de vida, de trabalho e de dedicação. Acorda todos os dias às 06 da manhã para o trabalho, e só sai às 18:00, fazendo isso há pelo menos 55 anos no serviço público. Nunca deixou de acreditar na força do trabalho e nas grandes virtudes do ser humano. A você, dedico este pequeno artigo.

sábado, abril 23, 2011

CONHEÇA O CRATO EM 300 FOTOS - Galeria da Cidade do Crato e das maiores Personalidades


Conheça quem é quem na cidade do Crato ! - 300 Fotos da cidade e das Personalidades Cratenses.





"Felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente."

Érico Veríssimo

A vida é muito breve! O que fica aqui para a posteridade, é o trabalho que cada um realizou em benefício da sociedade. Uma cidade não é composta somente do lugar em si, mas das pessoas que o construíram e que o constróem no seu dia-a-dia. Ao escolher as fotos para essa pequena galeria, porém com 300 trabalhos selecionados, procurei reunir algumas das minhas imagens mais significativas do Crato e da região, bem como de pessoas que são verdadeiramente, os pilares das artes e da cultura no Crato e no Cariri. Nem todos estão aí, decerto, pois não pude registrar em fotografia, mas com certeza, os que foram registrados, merecem pertencer a esta galeria de homenageados que por DÉCADAS, exercem um trabalho que deixará marcas profundas na nossa história. Nesta galeria não cabem principiantes. Procurei registrar quem realmente conduziu e conduz os destinos da nossa cidade e já possui uma história de vida e dedicaçãoao trabalho.

Esta é uma galeria que ninguém entra por ser amigo do dono, nem pode pagar para entrar, mas por ter méritos verdadeiros e uma folha de serviços RELEVANTES prestados ao Crato e ao Cariri. Fazer listagens é sempre uma temeridade, porque acabamos excluindo pessoas, mas o objetivo aqui não é registrar tudo, até porque, como falei, eu não disponho das fotos de todos os que gostaria de homenagear.

Portanto, para quem não conhece ainda o Crato, quem reside fora da cidade, ou para quem simplesmente deseja rever os velhos amigos, eis uma boa oportunidade. Passei dias selecionando o que há de mais representativo nas imagens dos lugares e das pessoas que constróem esta cidade, e moldam o perfil da nossa geração. Não é possível listar aqui, pois o trabalho seria monumental. O bom mesmo é ver a galeria completa, sem pular nenhuma foto. É preciso ter uma certa paciência, pois o slide demora para carregar. Mas ao final, vale a pena ver ou rever as belezas do Crato, e o seu maior patrimônio, os seus ícones e a sua cultura.

Diagramação e Fotos: Dihelson Mendonça ( com participações de Pachelly , Roberto Jamacaru, Wilson bernardo e Claude Bloc )

terça-feira, abril 05, 2011

COLORADO RQ - De volta aos anos 70 - Por: Dihelson Mendonça


Alguém aqui viveu nos anos 70 ? Creio que muita gente. E quem não se lembra quando a TV chegou aos grotões do Brasil ? Eu tinha 4 anos de idade em 1970, e morava numa cidade pequenina do Ceará, chamada "Farias Brito". Por essa época, o maior comerciante local, chamado Antonio Leandro, começou a vender aparelhos de TV. Existiam lá basicamente dois modelos, o velho Colorado RQ, e o TV PHILIPS Planar.

Meu pai, que sempre foi uma pessoa muito entusiasmada pelas novas descobertas, comprou o segundo aparelho de TV da cidade, sendo que o primeiro ( claro ) era do dono da loja. E enfim, chegou o nosso philips planar em preto e branco ( colorida nem se falava ). Acontece que naquele tempo, a televisão "pegava" com sistema de repetidoras. Vinha por várias estações repetidoras desde a cpital Fortaleza até a região do Cariri ( não é como hoje, que vem via satélite ). Existia então, uma estação repetidora na Serra do Quincuncá, da antiga TV Ceará Canal 2, e funcionando com gerador a óleo diesel, só era ligada à tardinha, e desligada lá pelas 22 horas para poupar energia. Teve até um caso do último capítulo da novela da TV TUPI, "A barba azul", em que faltou o óleo, e um comerciante local forneceu, o que ganhou a simpatia da população, claro!

Foi através dessa TV, hoje rudimentar, que nós tivemos nossos primeiros contatos com o mundo "civilizado". Seriados como "O Túnel do Tempo", "Viagem ao fundo do mar", "terra de gigantes", e o clássico "Perdidos no Espaço". Parece até que estou vendo a sala lá de casa, com 50 crianças sentadas em qualquer lugar, assistindo Roy Rogers, Durango Kid, Hospitalouco, A feiticeira. Por essa época também, chegaram as primeiras geladeiras da era moderna, Consul, e o que não faltava na cidade, eram placas de "Vende-se Din Din". Era moda, tinha gente que colocava uma placa de "Din din" só pra dizer que tinha geladeira nova. Telefones na cidade ainda não existiam ou eram muito poucos, o contato com o mundo externo era feito via Rádio-Amador, que enviávamos recados, mensagens para parentes mundo afora, além dos correios, que eram de altíssima credibilidade. Ah! quando o carteiro passava, era uma festa na rua.

As estradas que ligavam Farias Brito à cidade de Crato ( que era um aespécie de metrópole ), eram quase intrasitáveis no inverno, carroçais, e haviam algumas maneiras de se vir ao Crato, como pelo expresso "Rápido Crateús", ou pela "Viação varzealegrense", ou ainda pelo misto de "Seu Orlando", que ficava estacionado na praça principal. Quando alguém ficava doente e precisava de urgência, iam acordar o Antonio Sales, que possuía um Jeep, era muito eficiente, e atendia à cidade toda. Hoje Antonio Sales é proprietário de uma beneficiadora de arroz aqui em Crato, ali na Rua dos Cariris. Uma excelente pessoa. Aliás, quantas vezes eu não vim doente para o Crato nesse bendito Jeep do Antonio Sales ? Lembro-me de uma vez, muito criança, de colo, em que eu abri os olhos para o mundo. Primeiro foram os sons. Alguém dizia: "Ele tá tornando!" outro comentava: "Ele vai se acordar". O caso é que quando abri os olhos, haviam dezenas de pessoas cercando a cama e me olhando. Uns diziam que eu tinha "dado uma agonia" ( desmaio ), e já outro dizia: "é melhor levar logo pro Crato". Foi nessas idas e vindas ao Hospital São francisco de Assis, que acabei conhecendo o Crato; Meus tios vieram morar ali na Cel. Luiz Teixeira, lá no alto do seminário, de onde se via boa parte da cidade baixa.

Aqui no Crato, o sistema de televisão no início dos anos 70 era também muito semelhante. Existia uma torre repetidora ali no Alto do Seminário, defronte ao seminário São José, que transmitia o Canal 10 ( TV verdes Mares ) para toda a cidade.

Mas televisão era um negócio muito caro para a classe pobre. Pobre sempre foi pobre, em qualquer lugar do mundo. Para facilitar as coisas, os prefeitos das cidadezinhas como Farias Brito, inventaram a tal da TV pública. Um aparelho de TV era montado em cada praça da cidade. lembro-me ainda do dia em que estavam montando a TV pública em Farias Brito, que ficava na esquina aonde hoje é a prefeitura. Ali, o calçadão não existia, e as pessoas ficavam assistindo da esquina da praça. Todo fim de tarde, um encarregado ia abrir o cadeado da caixinha de metal que abrigava a TV das chuvas, abria as duas portinholas e ligava a TV para o povão assistir as novelas. E que novelas boas as daquela época: Tinha "A barba azul", com Eva Vilma e Carlos Zara, que era sucesso, e tantas outras.

Na cidade, um dos maiores divertimentos era quando chegava a época da política. Os Fariasbritenses devem se lembrar das clássicas disputas entre Aurélio Liberalino de Menezes, e Gabriel Bezerra de Morais ( Seu Bié ). Meu pai era o encarregado da CAENE ( Companhia de Águas e Esgotos do Nordeste ), que depois virou CAGECE, e minha mãe trabalhava na prefeitura de Farias Brito na época do prefeito Bié ( Gabriel Bezerra de Morais ). Eu estudava no Grupo escolar Getúlio Vargas ( estadual ), e competíamos com o Colégio Municipal, porque quem estudava no "estadual" tinha bem mais status que o "municipal". Meus tios ainda estudavam no Ginásio Enoch Rodrigues, instituição de bastante respeito na cidade.

Mas afinal, porque eu estou relatando todas essas coisas ?

Porque ao ver esses folhetos aqui de propagandas de lojas como a Zenir, Americanas, com computadores a preços populares, comecei a pensar cá com meus botões: A história se repete : "Um computador para cada casa". Vamos chegar em breve a um tempo em que haverá um computador ( e vários ), para cada residência. Lembranças dos anos 70, em que dizíamos: Um dia haverá uma TV em cada casa, e não tardou a acontecer. Estamos para o computador hoje, como a TV estava para os anos 70. Só que a velocidade com que a tecnologia se desenvolve hoje é estonteante. Um produto que se compra hoje, daqui a 6 meses está obsoleto, enquanto naquela época, se comprava uma geladeira por exemplo, para o resto da vida. Chama-se isto de "Síndrome da obsolescência" nos meios acadêmicos.

E aqui eu paro para refletir se de fato, a tecnologia melhorou a nossa qualidade de vida, pois mesmo quando não tínhamos toda essa parafernália eletrônica em nossas residências, parece até que éramos mais felizes, tocava-se na vida com os dedos, valorizava-se mais o trabalho, a dignidade, havia um senso maior de responsabilidade, de honestidade, de ganhar o pão com o suor do rosto, as famílias se arrumavam e iam todos à missa aos domingos, e depois às festas da cidade. As praças eram cheias de crianças brincando, sorrindo, correndo, havia música em toda parte, e o mundo era um lugar bem mais seguro de se viver.

Bom, mas eu ia escrever sobre uma coisa, e acabei escrevendo sobre várias outras coisas, tantas, que acho até que a crônica acabou se tornando melhor. Mas eu não sou nenhum Emerson Monteiro, ou Antonio Morais, sou apenas um reles cronista dos minutos livres. E por sinal, já vai começar o noticiário da CNN, com as últimas do Japão...tempos modernos da TV via satélite digital...

Pensando bem, estou ficando velho...sabe qual é a diferença entre você ter 15 anos e 45 ? Nenhuma. A única diferença é que o tempo passou, e muita coisa boa ficou para trás. Mas resta-nos a lição de saber que em qualquer tempo da vida, podemos ser felizes com aquilo que temos, já que a única coisa que verdadeiramente nos resta ao fim de tudo é a nossa própria vida e muitas, muitas recordações. O resto são apenas vaidades diluídas na poeira do tempo...

"Os nossos comerciais, por favor !"
( dedicado a Flávio Cavalcanti - Rei da Televisão )

Por: Dihelson Mendonça

sábado, abril 02, 2011

Aonde estou quando não estou no Blog do Crato ?


Algumas pessoas me perguntam como eu faço para me desdobrar em 1001 atividades: Pianista, Fotógrafo, Cronista, Repórter... a verdade é que eu não paro, ou durmo relativamente pouco. Há muito o que fazer. Estar plugado ao mundo é uma característica que adquiri desde os primeiros anos de vida, quando residindo na pequena cidade de Farias Brito, descobri o mundo através dos livros de enciclopédias, que pegava na biblioteca do Colégio Estadual Wilson Gonçalves. Agradeço até hoje à diretora daquela escola, e aos gentis professores que me permitiram naquela época, abrir uma janela para o mundo. E estimulo a que outros possam ter essa oportunidade de ouro.

Os meus dias hoje são bastante preenchidos. Ontem mesmo, às 04:00 da manhã estava compondo 2 novas músicas ao piano, após arrumar o Blog do Crato para o dia que se iniciava. Estou preparando as músicas para o meu novo CD, que pretendo gravar ainda em 2011, e estou bastante empolgado com os resultados. Quero trazer novas composições, novas idéias. Música instrumental do mais alto nível, algo que exclame ! - Conheço centenas de músicos excelentes no Brasil e no mundo, e todo mundo está mostrando seus trabalhos, compondo... estive recentemente em Guaramiranga e toquei com o amigo, e músico genial, Arismar do Espírito Santo, com o seu filho, o baixista Thiago do Espírito Santo, além do maravilhoso guitarrista Michel leme. Este encontro foi muito inspirador, mudou minha forma de pensar, porque me trouxe novamente o amor pela música. Eles me provaram que sou capaz de grandes feitos, se assim me dedicar. O thiago estuda 10 horas por dia. Serviu para reacender a minha verdadeira vocação, que é a música, aquilo que nasci para ser. Eu não me considero um jornalista, nem cronista, nem poeta, embora possa fazer estas coisas ocasionalmente, mas não me tocam o coração. Apenas a fotografia ainda é uma boa "distração".

Mas compor uma sinfonia, uma Sonata, ou mesmo um novo tema de Jazz, isso sim é fascinante. Compor um Noturno, uma Mazurka, aprender uma balada de Chopin, uma peça de Debussy, um tema de Bill Evans e tocar com grupo é maravilhoso. Então, quero "voltar" ao mundo da música, talvez até viajar pelo mundo. Saudades da estrada.

Mas enquanto estou ainda no Crato, o Blog do Crato consome meu tempo, cada vez menos agora, mas é algo que faço por amor, porque gosto. Ao meu lado, uma grande estante com clássicos da literatura universal, de Goethe aos filósofos como Kant, Spinoza e kierkegaard preenchem minhas noites, além de Fernando Pessoa, Cecília Meireles e outros. À minha disposição, cerca de 1500 filmes em DVD, e 17 therabytes de vídeos, mp3 e textos. Enquanto escrevo, como agora, a TV fica permanentemente ligada ali na CNN. Talvez eu seja um dos maiores entusiastas da CNN e do seu jornalismo, pois acompanho quase todos os programas, as notícias, as reportagens, isto tem me auxiliado muito no aprendizado do jornalismo de alta qualidade.

Aliás, de tanto ver os repórteres da CNN, eles se tornaram meus "velhos conhecidos". Figuras como Michael Holmes, que apresenta o programa Backstory é um dos meus preferidos, com seus gracejos, apresentado de dentro do estúdio, em meio a câmeras e monitores LCD. E quem não viu ainda o Richard Quest, com seu famoso "Quest means business ?" - Ele é tão enfático nas colocações! Que forma maravilhosa de entrevistar! E tantas outras pessoas, a bela Hala Gorani, Ralitsa Vassileva, Jim Clancy, e tantos outros veteranos. A CNN tem me inspirado até em música, para compor vários temas, com suas imagens da África, e de outros lugares do mundo, e é uma forma de se manter informado acerca das atualidades. O seu slogan tem tudo a ver comigo: Go Beyond Borders ( vá além das fronteiras ). Este é o sentido da vida, ir além das nossas próprias fronteiras, das nossas limitações.

Eu prometi a mim mesmo que 2011 seria um ano de lutas, de realizações. E estou gostando do que estou a produzir ininterruptamente. Uma força de vontade e um trabalho tão gigantesco, com inúmeros ensaios com diversos músicos, agenda lotada, dias a fio trancado no estúdio compondo, praticando leitura musical, estudando harmonia, em que o dia entra na noite e emenda no dia me fazem crer que em breve trarei algo de muito interessante para minha carreira musical. E há ainda inúmeros projetos em andamento, como a realização de programas para WebTV, com entrevistas, reportagens, e os programas de rádio que eu já faço.

So please, stay tuned, because I´ll have some great news very soon !
Então, fiquem ligados, pois terei boas novas em muito breve!

All the best,

Dihelson Mendonça

sexta-feira, março 11, 2011

Chega de Caridade de Porta de Guarda-Roupa ! - Por: Dihelson Mendonça


Vamos parar com essa hipocrisia de só doar do nosso supérfluo...


É interessante como algumas pessoas gostam de se enganar e de tentar enganar os outros. Provavelmente você já deve ter ouvido falar no termo "caridade de porta de geladeira", ou "caridade de porta de guarda-roupa", não ?

Mas você já deve ter observado casos em que pessoas , abrindo o seu guarda-roupas, e separando aquelas roupas estragadas que não desejam usar de forma alguma, e para desobstruir o armário a fim de comprar os novos modelitos das lojas, resolvem fazer caridade do entulho e do supérfluo que iria para o lixo, doando aos pobres. Ah! mas que coisa linda! Dar aos outros aquilo que não quer para si...

Na verdade, as pessoas que fazem esse tipo de coisa, estão resolvendo principalmente o problema delas mesmas, em se livrar de um fardo. Elas se enganam e tentam enganar os outros, com aquele semblante caridoso de quem faz a melhor coisa do mundo. A pergunta é: "Porque essas pessoas não pensam em doar daquilo que gostam e que necessitam no dia-a-dia?" A resposta: " Nem pensar" - Porque doar 10 reais pra quem ganha 10.000 reais não tem nada de vantagem. O difícil é não ter, e ter que ter pra dar, como já diz a letra do compositor Djavan.

Então, vamos parar com essa hipocrisia de só doar do nosso supérfluo, aquilo que não queremos mais, que não cabe em nossas casas, que não cabe mais nos nossos armários abarrotados de pertences, e vamos começar a compartilhar daquilo que verdadeiramente necessitamos no nosso dia-a-dia, daquilo que precisamos de fato. Assim, estaremos sendo verdadeiros para com todos, e sendo fraternos para com nossos semelhantes, e sobretudo, deixando de ser hipócritas, fazendo caridade de porta de guarda-roupas!

Por: Dihelson Mendonça

terça-feira, fevereiro 22, 2011

Pessoas Superdotadas - Crianças com um dom Especial - Parte 1


Há muitos anos, eu coleciono coisas absolutamente fantásticas. Como pesquisador da música, desde os 10 anos de idade, tenho percorrido o que é humanamente possível conhecer da obra dos grandes mestres da Música, como Bach, Beethoven, Chopin, Schubert, Liszt, Rachmaninov, Mahler, Debussy, etc, etc. Devo conhecer a maioria das obras desses compositores de cor e salteado, através de milhares de arquivos da minha coleção. Gosto de pesquisar não só a música, mas também a biografia dos compositores e intérpretes, e chegamos a uma das coisas mais fantásticas da natureza, que são as crianças-prodígio, ou pessoas que desenvolvem feitos extraordinários. Eu as chamo de milagres de Deus. Elas nascem com um dom incomum. Diferentemente do que se acredita, nem todos os seres humanos nascem iguais. Alguns nascem superdotados, com uma inteligência especial para determinadas áreas.

É o que chamamos de "talento". Ah! "talento", um termo que define tão bem os gênios como Mozart, como Bach, como Hermeto Pascoal e tantos outros. Trago hoje da minha coleção dos milagres de Deus, alguns vídeos que tocarão na alma das pessoas sensíveis:

ATENÇÃO: Para evitar ouvir 2 sons ao mesmo tempo, pare o player da Rádio Chapada do Araripe, no canto superior direito do Blog.

Abaixo: O guitarrista Adam Fulara, que não é mais tão criança, mas com certeza, é um gênio instrumentista



A Pianista Aimi Kobayashi com 4 anos de idade:



A Pianista Aimi Kobayashi com 10 anos de idade:



O Baterista Jacob Armen com 7 anos de idade:






A Pianista Umi Garret aos 8 anos de idade toca Gnonenreigen de Liszt



Aimi Kobaiashi novamente:



Abaixo: O guitarrista Adam Fulara



Abaixo: O guitarrista Adam Fulara



Abaixo: O guitarrista Adam Fulara



Abaixo, o clarinetista Han Kim



E abaixo Aimi Kobaiashi toca com Orquestra Sinfônica



sexta-feira, fevereiro 04, 2011

BlogHumor


"Você tem o sagrado direito de me atacar da forma que quiser. Só que somente eu é que vou definir o tamanho da porrada que você vai levar. Ação e reação."

Dihelson Mendonça

domingo, janeiro 30, 2011

Pensamentos do Dia - 30 de janeiro de 2011


"Em tempo de catástrofe, pá e picareta valem mais que uma caneta"

Dihelson Mendonça

segunda-feira, janeiro 03, 2011

Neste ano, eu quero Guerra no meu Coração ! - Por: Dihelson Mendonça


Decidi. Neste ano, nada daquela cantilena chata de prometer a mim mesmo que irei ser um melhor ser humano que nos anos anteriores. Nada daquelas conjurações e listas intermináveis de coisas fictícias a serem realizadas, e que logo após alguns dias, já soam completamente defasadas, absurdas e impossíveis de se realizar na prática.

O abismo entre o querer e o realizar é sempre imenso, e essa é a primeira verdade imutável da natureza. Por isso, decidi que não mais irei assumir compromissos de que pretendo fazer melhor nem pior que nos anos anteriores, nem chorar e lamentar as quedas e fracassos, mas irei simplesmente recomeçar sempre a cada dia, com a força de um ariete, e fazer tudo o que tem que ser feito sem olhar para trás, rumo ao sucesso, e como a fábula da tartaruga surda, sem me importar com as críticas negativas daqueles que sempre desejaram me empurrar para trás.

Iniciei o ano com uma força de vontade que nunca me ocorreu antes, com a face daquilo que sempre fui: Um Leão enfurecido. De por em prática definitivamente, inúmeros projetos que estavam guardados. Mas como todos os anos, se não forem logo iniciados, terminarão novamente nas prateleiras poeirentas de sonhos para os anos seguintes. A nossa passagem aqui na terra é rápida e mortal. Como já disse alguém, é a única grande aventura da qual temos certeza de que não sairemos vivos. Por isso, após 44 anos de vida e métodos ineficazes e paliativos, eu terei que tomar atitudes mais drásticas. Por exemplo, encarar que a minha vida tem sido um verdadeiro CAOS. Por exemplo, encarar que eu tenho tido uma verdadeira aversão ao sucesso. Desnudar-me e sondar a origem de todos os medos, as análises dos fracassos, da indolência e da preguiça. Fazer o controle da mente em relaçao à ira e canalizar essa energia para a ação imediata e positiva, ao invés da mera lamentação e do aborrecimento.

Seria isto possível ? Uma nova abordagem de mundo, de conceitos até então misteriosos, de submissão a uma disciplina rígida que inclui o uso racional do tempo ( o maior de todos os recursos ), do dinheiro, e outros em prol das grandes causas ? No fim do ano saberemos. Afinal, o que tenho a perder ? Se as outras abordagens não foram tão eficientes, que tal lançar uma guerra total contra essa inércia, contra todas as amarras e as âncoras que me impediram de zarpar ao infinito ?

Acho que durante a vida, teorizei demais. Preparei-me durante anos e anos para uma batalha colossal, sem perceber que não importa os meios empregados, tudo isso seria em vão, pois a maior delas será travada dentro de mim mesmo. Contra tudo aquilo que tem me impedido de ver o mundo de forma mais realística. De assumir a alma o controle definitivo sobre um corpo tão falho em decidir e realizar. Que eu possa permitir que meu espírito e não o corpo esteja no controle todo o tempo no ano que se inicia, sem mais promessas, sem mais conjurações, sem superstições, sem tolas listas de sonhos ilusórios.

Neste ano, ao contrário de tantos outros, eu quero guerra no meu coração. Quero Fogo e quero Ações. Quero entrar o ano de roupa Preta, quero ir ao inferno e voltar vitorioso, e chegar pisando firme e forte em qualquer lugar. Quero aniquilar todos os trastes que sempre impediram minha alma de ser tudo o que quer e pode. Internas e externas. Quero enfim, tirar a máscara vazia de uma educação falha que me ensinou que 2+2 só pode ser 4 quando pode ser qualquer coisa, menos 4. Quero ir à luta com armas de um exército inteiro, coeso e eficaz.

Mas vendo por um certo prisma de visão, a única grande coisa que quero mesmo, é ser finalmente aquilo para que nasci: O Eu absoluto.

Por: Dihelson Mendonça